Ateliers Livres l Exposição Cuaderno de Ejercicios de Luis Camnitzer by Ricardo Setembro 12, 2019 0 Novidades a decorrer

Na exposição CUADERNO DE EJERCICIOS, Luis Camnitzer convida o público a seguir as instruções desenhando nas paredes brancas das galerias.
Também serão explorados outros suportes: tela, papel, sala vazia, fotografia e vídeo. Em cada dia uma obra acontece!

“O museu é uma escola. O artista aprende a comunicar-se. O público aprende a fazer conexões”

28 SETEMBRO 2019
15H00-17H00
A Magia da Fotografia Instantanea
Conceção e orientação de Ana de Almeida

Supõe-se que a matéria existe em três estados: sólido, líquido e gasoso. A) Especule sobre as consequências de um céu líquido. B) Explique o destino das nuvens.
Através do exercício da fotografia Instantânea iremos explicar o destino das nuvens

12 OUTUBRO 2019
15H00-17H00
O Livro Instantâneo das emoções
Conceção e orientação de Susana Anágua

De que cor é a felicidade? e que forma tem ?
Podemos atribuir cores e formas às emoções ?
Nas obras dos artistas tudo é possível, as palavras ganham formas e as cores a imaginação não tem limites. vem construir um livro instantâneo a partir dos desafios da obra de Luis Camnitzer.

PHOTO 3

19 OUTUBRO 2019
15H00-17H00
O desenho como forma de pensar
Conceção e orientação de Mariana Ramos

Uma frase encontrada nos escritos de Luis Camnitzer e que resume as pretensões do Desenho Aberto. Pensar todos pensamos mas como expressá-lo ou desenvolvê-lo? O desenho é umas das formas mais imediatas do pensamento tomar forma e expressão. Nesta exposição vamos encontrar Exercicios propostos pelo artista Luis Camnitzer, através do acto de desenhar, sem filtros e sem truques, vamos reflectir e questionarmo-nos sobre o mundo.

3 (1)

26 OUTUBRO 2019
15H00-17H00
Lugar das Perguntas
Conceção e orientação de Ana Teresa Magalhães

Um atelier criativo à volta do trabalho do artista, crítico e pedagogo Luis Camnitzer, onde vamos desenvolver um manual coletivo de perguntas que nos vai ajudar a completar e a participar na sua obra. Um espaço para, através do pensamento e do desenho, questionar, experimentar e inventar, estimulando a imaginação

ESCOLAS E GRUPOS

O Programa de Participação (Serviço Educativo) também estará disponível para atividades adaptadas aos diversos graus de escolaridade, desde o ensino primário ,básico ao universitário , mediante marcação prévia.

Detalhes

28 de Setembro, 12,19 e 26 de Outubro 2019
15:00 — 17:00
Local: HANGAR Centro de Investigação Artística, Rua Damasceno Monteiro, 12 (Graça)
Nº participantes: Mínimo de 5 e máximo de 12
Mini-Hangar: 6 – 14 anos
Participativo: 15 – 25 anos
6€ público em geral, 4€ amigos ou sócios do Hangar
Sujeito a inscrição, crianças/famílias

Inscrições: Ana de Almeida
+351 934155100 l +351 93 843 90 60
geral@hangar.com.pt

O Programa de Participação (Serviço Educativo), também estará disponível para grupos escolares, mediante marcação prévia.

Concepção e Orientação

Ana de Almeida formou-se em Fotografia e Comunicação na London College of Communication e “New Art”, fotografia de arte experimental no Chelsea College of Art & Design, em Londres. Trabalhou durante dois anos como professora de Arte e Educação para minorias étnicas na Clapham Manor Primary School em Londres. Paralelamente, supervisionou várias oficinas de fotografia com crianças e jovens, intituladas “vamos fazer fotos com as quais você pode brincar e se sentir”, em várias escolas e instituições da capital britânica. É cofundadora da Sociedade Lomográfica em Portugal, um movimento de arte internacional de fotografia analógica, que desenvolve vários projectos fotográficos nacionais e internacionais. Desde 2015 coordena o serviço participativo e educativo do projecto Hangar, com parcerias com escolas e Universidades nacionais, Fundação Moleskine , Tate Britain o Instituto Tomie Ohtake .

Susana Anágua nasceu em 1976, é artista visual e vive e trabalha, actualmente, entre Lisboa e o Rio de Janeiro. Susana Anágua fez a sua formação artística inicial na Escola Superior de Artes e Design (ESAD) das Caldas da Rainha, onde lecciona, e postoriormente aprofundou essa fomação em Londres, na University of the Arts, Camberwell College of Arts , onde concluíu, em 2008-09, o MA Digital Arts, com uma bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian. No seu trabalho criativo a artista costuma aborda temas e colocar questões sobre aspectos relacionados com fenómenos naturais e tecnológicos e as suas relações e impactos na vida e ambiente humanos. Nas palavras de Leonor Nazaré, curadora responsável pela exposição da artista intitulada Desnorte, realizada no Centro de Arte Moderna em 2008, “ideias como a perda de referências espaciais e a força para as recuperar são os pontos de partida para as propostas artísticas de Susana Anágua”

O Desenho aberto iniciou-se em 2013, no Teatro da Voz, num espaço pouco adapatado à prática do desenho, em que o formato de aula sentados à mesa numa cadeira foi reinventado a cada aula. O modelo foi variando e a metodologia também, tornando assim as aulas enriquecedoras no sentido de experiência. Estas aulas são orientadas pela Mariana Ramos é mestre em escultura pela FBAUL. Tem formação em cinema de animação, vídeo, fotografia e dança. Expõe regularmente desde 1999. Desenvolve trabalho educativo no âmbito das artes plásticas desde 2004, tendo iniciado a sua colaboração com o Serviço Educativo do Museu Coleção Berardo em 2010. Colabora também com o SE do Atelier-Museu Julio Pomar, o SE do Museu Bordalo Pinheiro, do Hangar e do CFA do Teatro da Voz.

Ana Teresa Magalhães, Huambo,1973. Licenciada em Artes Plásticas (ESAD-CR), desenvolve trabalho na área da educação artística desde 1998, com formação em pintura, escultura, dança, teatro, performance, cinema de animação e vídeo. Concebe e dinamiza visitas, cursos e oficinas criativas para todas as idades e públicos, nos mais diversos contextos e com várias instituições educativas e culturais. Membro-fundador, e ativo, da Cooperativa Cultural Andaime, onde desenvolve e coordena diferentes projetos artísticos e participativos segundo três grandes eixos; Arte, Ambiente e Educação. Participa regularmente em formações e projetos de artes performativas. Na sua prática profissional procura aliar o teatro e as artes plásticas, para encontrar novas e melhores formas de promover experiências de aprendizagem e de partilha de conhecimento, com todos e para todos.


you may like