LIIM | Laboratório de Investigação e Criação Imagética by Icaro Maio 07, 2021 0 Novidades anteriores, Space Station Lisbon

Artista / Educador: Nêga Filmes

Datas: 31 de Maio à 15 de Junho 2021

31 de Maio (Seg) | 18h30 – 21h30
1 de Junho (Ter) | 18h30 – 21h30
2 de Junho (Qua) | 18h30 – 21h30
3 de Junho (Qui) | 18h30 – 21h30
4 de Junho (Sex) | 18h30 – 21h30
7 de Junho (Seg) | 18h30 – 21h30
8 de Junho (Ter) | 18h30 – 21h30
9 de Junho (Qua) | 18h30 – 21h30
11 de Junho (Sex) | 18h30 – 21h30
15 de Junho (Ter) | 18h30 – 21h30

Início: 31 de Maio (Segunda) | 18h30 – 21h30

Público-alvo: Jovens da diáspora africana ou imigrantes, entre 18 e 30 anos de idade

Preço: GRATUITO!

O Laboratório de investigação e criação imagética convida à imersão em um processo de investigação + intervenção + elaboração, que parte de diferentes tipos de arquivos (digitais e físicos; imagéticos e sonoros), para a produção de novos registros sobre espaço,identidade, memória, presença/pertença.

CONCEPÇÃO E ORIENTAÇÃO

Inspiradas no trabalho de Nii Obodai, propomos que o grupo criado para esta formação possa experimentar olhares/práticas/poéticas fotográficas/fílmicas distintas, a partir de três eixos metodológicos específicos: 1) pesquisar arquivos diversos; 2) ler/traduzir apagamentos repetitivos e repetições cristalizadas; 3) e produzir novas imagens/novas memórias sobre essa relação, entre assuntos atuais e seus efeitos sobre nós.

LUZIA GOMES
Sou Poeta; Feminista Negra; Professora da Universidade Federal do Pará (UFPA), lotada no Instituto de Ciências da Arte (ICA), na Faculdade de Artes Visuais (FAV), onde leciono para o curso de Museologia. Doutora em Museologia pelo Programa de Doutoramento em Museologia da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias (ULHT-Portugal/2018); Mestra em Antropologia Social pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia (PPGA/UFPA/2012) e Graduada em Museologia pelo Departamento de Museologia da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FFCH) da Universidade Federal da Bahia (UFBA/2008). Coordeno o GEMUT (Grupo de Estudos em Museologia Teórica) no Laboratório de Pesquisas Integradas em Museologia (LAPIM/FAV/ICA/UFPA). Em Lisboa – PT publiquei o livro de poesia Etnografias Uterinas de Mim (2017) e participei com poemas de minha autoria na coletânea Djidiu A Herança do Ouvido Doze formas mais uma de se falar da experiência negra em Portugal (2018) em parceria com poetas de Angola, Guiné Bissau e Cabo Verde residentes em Portugal. Sou criadora e editora do blog Etnografias Poéticas de Mim. Atualmente meus interesses acadêmicos para pesquisas, ensino e extensão, são: Gênero e Feminismos Negros; Museus; Literaturas Negras Afrodiaspóricas e Africanas; Patrimônios Afro -Brasileiros; Teoria Museológica na interface com Gênero e Raça.

MELISSA RODRIGUES
(Praia, Santiago, Cabo Verde, 1985) é performer, arte-educadora e curadora independente.
Licenciada em Antropologia UNL/FCSH e pós-graduada em Performance pela FBAUP.
Colabora desde 2008 em projetos de educação pela arte e educação não-formal e como arte-educadora no âmbito de serviços educativos de museus, como no Serviço Educativo do Museu de Arte Contemporânea de Serralves (2015-2020).
Como investigadora nas áreas da Performance e da Antropologia Visual, tem desenvolvido pesquisa em Cultura Visual – Imagem e Representação do Corpo Negro – em colaboração com artistas visuais, cientistas sociais e performers.
Integra o InterStruct Collective, a Associação Cultural RAMPA e o Núcleo Anti-Racista do Porto.

MAÍRA ZENUN
Maíra Zenun é poeta e socióloga; é mãe imigrante-artista, mulher negra brasileira, em trânsito. E gosta de flores. Nascida no RJ, se criou em Petrópolis, cresceu para a vida em Brasília e, desde 2016, vive na Linha de Sintra. Doutora em Sociologia do Cinema pela UFG, com a tese “A Cidade e o Cinema [Negro]: o caso FESPACO”. Em Portugal, é co-fundadora da Nêga Filmes, onde desenvolve trabalho de formação, curadoria e programação cultural em torno do tema do cinema negro feito por mulheres negras de todo o mundo. Na base dos afetos, e em diálogo com as suas próprias especificidades, mantém trabalho em imagens, poesias e escrivivências; expostos em coleções públicas e privadas, em galerias de arte e em publicações impressas e virtuais.

CONDIÇÕES DE CANDIDATURA

•  O workshop é dirigido aos jovens da diáspora africana ou imigrantes, entre 18 e 30 anos de idade;
•  CV com telefone e email;
•  Estar disponível para participar do workshop gratuito a tempo inteiro e durante todo o período em que se realiza.

As candidaturas devem ser enviadas unicamente para o email: hangar.xerem@gmail.com até dia 22 de Maio 2021
especificar no assunto: LIIM

GRATUITO!
DATA LIMITE: 22 de Maio, 2021

O projecto Space Station Lisbon tem o apoio EnergiaBIP/ZIP

Logotipos da Câmara municipal de Lisboa e BIP ZIP.