Ramiro Guerreiro by Ricardo Novembro 17, 2019 0 portfolios

Ramiro Guerreiro (1978, Portugal) frequentou o curso de Arquitetura na Universidade do Porto para passar ao Programa de Estudos Independentes na Maumaus – Escola de Artes Visuais. Tem exposto com regularidade desde 2003.

Nas exposições individuais destacam-se: “Moi Aussi…” (Galeria Lehmann+Silva, Porto, 2019); “Sem Título [Um Tanque sem Fundo]” (Adega de Olhalvo, Alenquer, 2018); “The TINA Pamphlet” (Pneuma Project, Lisboa, 2017); “Austerity – International Style – Spring/ Summer 2016” (Künstlerhaus Bethanien, Berlim, 2015); “Instructions” (Arte Tranquilidade, Lisboa, 2013); “Marseille” (Galerie Château de Servières, Marselha, 2013); “Resto” (Pavilhão Branco, Lisboa, 2011); “Verdes Anos” (Cinzeiro 8, Museu da Electricidade, Lisboa, 2009) ou “Acções, Propostas e Uma Intervenção” (Lumiar Cité, Lisboa, 2009). Guerreiro apresentou performances em: École Superieur de Beaux-Arts (Angers, 2017), Museu de Serralves (Porto, 2016), Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas (Ribeira Grande, 2015) e na Fundação Calouste Gulbenkian (Lisboa, 2013), entre outros espaços.
Das exposições colectivas destacam-se: “Ponto de Fuga” (Galeria Torreão Nascente, Cordoaria Nacional, Lisboa, 2019); “Escala 1:1” (Tabacalera, Madrid, 2018); “Mistake! Mistake! (…)” (Lumiar Cité, Lisboa, 2017), “The House of Dust by Alison Knowles” (CNEAI, Paris, 2017), “Já reparaste como um ponto de interrogação(…)” (Atelier-Museu Júlio Pomar, Lisboa, 2016), “Do Barroco ao Barroco (…)” (Casa-Museu Guerra Junqueiro, Porto, 2014), “A Natureza Ri da Cultura” (Museu da Luz, Luz, 2013), “This and There” (Palais de Tokyo e Fondation d’entreprise Ricard, Paris, 2012) e “The Multicultural in Our Time” (Gyeonggi MoMA, Coreia do Sul, 2010). Em 2005 Guerreiro recebeu uma Menção Honrosa pela exposição nos prémios EDP Novos Artistas e foi também premiado na 1a edição do “BES revelação” (Casa de Serralves, Porto).


you may like