Mostra Intrepid Visions by Ricardo Maio 10, 2020 0 Novidades a decorrer

Curadora: Paula Nascimento
Artistas: César Schofield Cardoso, Filipa César e Suleimane Biai, Kiluanji Kia Henda, Lubanzadyo Mpemba, Mónica de Miranda, René Tavares e Kwame Sousa, Rui Tenreiro
Local: HANGAR ONLINE
Datas: 12 de Maio 19h à 13 de Junho
Conversa com a curadora – 11 de Junho – 6 pm no Zoom
Videos:
Uma Cabana and Mionga House -12 de Maio – 19h
Hotel Globo and Journey to the Center of Capricorn – Moshanyana – 19 de Maio – 19h
CancerClasse, Beton and Concrete Affection – Zopo Lady – 26 de Maio – 19h

© Journey to the Center of Capricorn – Moshanyana, Rui Tenreiro, 2013

O conceito da exposição parte do projeto Ilha de São Jorge (2014), que propôs uma reflexão sobre como a modernidade foi concebida, desenvolvida, construída, habitada, absorvida e às vezes rejeitada no contexto dos países africanos de língua portuguesa. Quando vistos juntos, os cinco vídeos encomendados inicialmente produzem uma taxonomia das condições urbanas que poderiam estabelecer perspetivas sobre o desenvolvimento urbano e o discurso arquitetónico da região.
“Intrepid Visions” expande esse conceito e inclui duas novos vídeos. A atual situação global e os desafios colocados pelo confinamento e pelo distanciamento social podem ser um ponto de partida para se pensar em nossa relação com os espaços que habitamos, bem como para criar novos imaginários. Do espaço da casa à cidade, os vídeos selecionados refletem sobre sua construção sociopolítica – cidades como Luanda, Maputo, Cidade da Praia até à vila de Birban na Guiné-Bissau e a comunidade Angular em São Tomé e Príncipe – e sobre como o projeto modernista impactou nas fronteiras físicas

Com “Mionga House” (2014), os artistas Kwame Sousa e René Tavares exploram as características da comunidade da Ilha Sul de São Tomé. Em “Uma Cabana” (2014), Suleimane Biai e Filipa César imaginam a construção de um edifício como uma experiência e um ritual para a articulação da memória e sua inscrição no contexto social e político da Guiné-Bissau. O vídeo de Mónica de Miranda, intitulado “Hotel Globo“, conta a história da diáspora angolana enquanto se concentra em um hotel modernista no centro de Luanda.
Moshanyana” (2013) de Rui Tenreiro propõe uma leitura imaginária e surreal de Maputo pós-colonial, enquanto “CâncerClasse” de Lubanzadyo Mpemba, tenta revelar transições diárias, bem como (des) continuidades históricas e diferentes dimensões urbanas no centro de Luanda. “Beton” (2017) de César Schofield Cardoso explora os laços sensoriais de um espaço mineral e a relação dialética entre corpo e espaço.
O filme “Concrete Affection” (2014), de Kiluanji Kia Henda é inspirado no livro do escritor polaco Ryszard Kapuściński “Another Day of Life”, 1975. Kiluanji investiga o vazio da cidade após a partida dos portugueses, focando-se na arquitetura única de Luanda e refletindo com o seu estado atual.

Paula Nascimento (Director of Beyond Entropy Africa) was born in Luanda in 1981.. She studied at Southbank University and at the Architectural Association School of Architecture in London.  She works for Álvaro Siza Architects and RDA. At the moment, Paula Nascimento lives and works in Luanda and is a consultant for COCA Consultants of Energy and Environment. She is also the director of Beyond Entropy Africa. Since 2013 she has served as a member of the Inter-ministerial committee of the Republic of Angola for the Expo Milano in 2015. Also in 2013, she became curator of the Luanda exhibition Cidade Enciclopédia (City Encyclopedia) with Stefano Rabli Pansera. The project was awarded the Leão de Ouro in Bienal de Veneza.