A Lisbon Affair by Icaro Maio 09, 2022 0 Novidades, Novidades a decorrer, PostArchive eventos

A Lisbon Affair

FILM SCREENING AND TALK

Conversa entre o artista Hoji Fortuna as cineastas Pocas Pascoal e Margarida Cardoso e a atriz/produtora Ciomara Morais, moderada pela atriz e Analista de Ações Afirmativas Lucila Clemente.

Data: 25 de Maio às 18h
Local: R. Damasceno Monteiro, 12 R/C | 1170-112 – Lisboa
Duração: 14 minutos.

Talk / Conversa
Cinema Descolonizador / Narrativas Negras no Audiovisual

Sinopse

Waldo e Shey estão apaixonados. Waldo, que vive em Berlim, viaja para Lisboa para encontrar-se com Shey. O seu encontro irá revelar a tensão emocional que os liga, e as dúvidas sobre a sua identidade cultural e histórica enquanto Afro-Portugueses.

Biografias

Hoji Fortuna é um ator Luso-Angolano que atua internacionalmente em cinema, televisão e teatro. É vencedor do Prémio de Melhor Ator Secundário da Academia Africana de Cinema pela sua interpretação na internacionalmente aclamada longa-metragem ‘Viva Riva’. Pai de dois rapazes, Hoji dá também voz a personagens de animação, tendo atuado em pelo menos uma premiada longa-metragem de animação, ‘Mais Um Dia de Vida’, Melhor Animação nos Prémios do Cinema Europeu e nos Prémios Goya em 2019. Em 2021 foi escolhido como Juri de Ficção no prestigiado Festival de Cinema de Carthage. ‘A Lisbon Affair’ é a sua primeira realização em cinema e a segunda está em fase de escrita.

Pocas Pascoal estudou cinema em Paris e dirigiu vários documentários e curtas-metragens. Em 2002 participou em exposições de arte contemporânea com o grupo Cite Internationale. ‘Há Sempre Alguém Que Te Ama’, o seu documentário de 2004 foi exibido em vários festivais. ‘Por Aqui Tudo Bem’, a sua primeira longa-metragem de ficção, foi vencedor do prémio de Melhor Filme no Festival de Cinema de Los Angeles e ‘Sopro’, documentário de 2021, foi vencedor do Prémio Árvore da Vida no IndieLisboa em 2021.

Margarida Cardoso é uma cineasta independente cujos filmes foram exibidos em vários festivais, tais como Roterdão, Veneza e Locarno onde ela venceu o Leopardo do Amanhã em 1999. Ela trabalhou por vários anos como assistente de realização, assistente de câmara e anotadora em mais de 50 filmes. Em 1995 começa a dirigir os seus próprios filmes, que exploram temáticas da sua vida pessoal e questões importantes da história recente de Portugal, tais como a guerra colonial em África, a revolução e a era pós-colonial. Os documentários ‘Natal 71’ e ‘Kuxa Kanema – O Nascimento do Cinema’ e a longa-metragem ‘Costa dos Murmúrios’ encontram-se entre os seus filmes mais conhecidos, e são todos associados à sua experiência na África colonial e pós-colonial portuguesa. O seu mais recente documentário, ‘SITA – A Vida e o Tempo de Sita Valles’, foi seleção oficial no IndieLisboa 2022.

Ciomara Morais nasceu em Angola em 1984. É de ascendência angolana, portuguesa, macaense, e japonesa. É jornalista e atriz desde 2005 e em 2012 recebeu dois prémios de melhor atriz com a interpretação no filme ‘Por Aqui Tudo Bem’ de Pocas Pascoal. Também em 2012 Ciomara realizou a sua primeira curta-metragem, ‘Encontro com o Criador’. Em 2018 escreveu, produziu e protagonizou a série cómica ‘Querida Preciosa’, transmitida pela RTP África. Em 2022 terminou a sua segunda curta-metragem, ‘Já Te Disse Que Te Amo?’. É seu propósito continuar a escrever e a produzir projetos que humanizam e contam histórias de amor sobre pessoas negras.

Lucila Clemente é atriz e apresentadora brasileira, mestra em Relações Étnico Raciais pelo Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET/RJ), Pós-Graduada em Preparação Corporal para as Artes Cênicas pela Faculdade Angel Vianna/RJ e graduada em interpretação teatral – UFRGS. Pela OSCIP Padre Landell de Moura/RS formou-se como locutora de Rádio e TV. Iniciou sua carreira como atriz em 2008 com o grupo de teatro Caixa-Preta, em Porto Alegre/RS, com o qual realizou suas primeiras pesquisas sobre teatro negro. De 2010 a 2012, segue investigando a temática e desenvolve, com outros coletivos, mais dois espetáculos ‘Ayê’ e ‘No Palco Ruth de Souza’. De 2014 a 2019, integra a equipe do projeto Galera Curtição, na criação e condução de atividades que, entre outras temáticas, abordam racismo, gênero e sexualidade. Em 2019 foi palestrante no CEFET/RJ e na UFSCar/SP. Atualmente é consultora e palestrante de diversidade racial pelo Instituto Identidades do Brasil, além de desenvolver projetos artísticos independentes.