Exposição Individual | 3 de Julho a 12 de Setembro

O Hangar apresenta uma exposição de João Onofre.

Apresentamos dois trabalhos que representam o interesse do artista em utilizar o som como componente fundamental, em obras nas quais tem vindo a centrar a sua atenção no encontro entre o espiritual e a tradição conceptual da história da Arte.

Os trabalhos presentes nesta exposição têm em comum a celebração, de forma implícita, do som como actor principal.

O som acusmático é o som que ouvimos sem nos apercebermos de qual a sua fonte de origem.

Este é um recurso descrito por Michel Chion como uma ferramenta usada no cinema com intuitos variados como, por exemplo, criar suspense.

Esta é uma exposição em que a referencialidade do som e o seu potencial para criar espaços onde a poética e a acção se tocam num encontro entre narrativa cinematográfica e o performativo.

As peças selecionadas têm em comum a celebração do som de forma implícita, com destaque para o mais recente trabalho em vídeo de Onofre – VOX, 2015, protagonizado pelo músico e compositor Norberto Lobo, e Acousmatic Arrangement Inside an Invisible Square, 2013-2014, apresentada pela primeira vez em Portugal nesta exposição e que consiste numa instalação de 12 carrilhões, sendo um deles preparado com afinação a D.E.A.D. (Ré, Mi, lá, Ré).

A exposição está patende de 3 de Julho a 12 de Setembro. Encerra em Agosto.

Horário de abertura: quarta a sábado, 15h-19h

Agradecimentos: Cristina Guerra Contemporary Art, Lisboa Marlborough Contemporary, Londres

João Onofre (1976) vive e trabalha em Lisboa.

Estudou na FBAUL e concluiu um mestrado no Goldsmiths College em Londres. Das suas exposições destacam-se: Plateau of Humankind – 49a- Bienal de Veneza, Human Interest no Philadelphia Museum of Art, Philadelphia; Performing Bodies, Tate Modern, Londres; Youth of Today, Schirn Kunsthalle em Frankfurt; Video, An Art, A History 1965-2005 New Media collection, Centre Pompidou,  MCBA, Barcelona- Fundació La Caixa, Taipei Fine Art Museum.