Sophie Mallett vive e trabalha em Londres. A sua prática refere-se às formas de pertença e exclusão, e como estas se manifestam através das fronteiras nacionais, do capital e da migração. Por meio da música, rádio, vídeo e instalação, Sophie Mallett trabalha na interseção dos sons com o afeto, a política e os valores, concentrando-se nas conexões entre som, música, história e lugar. Com formação no London College of Communication, Open School East e Conservatório de música da Universidade de Sydney, a prática de Mallett é interdisciplinar e colaborativa, com ênfase na reflexão sobre como os indivíduos trabalham juntos.

Trabalhos recentes incluem: ‘Portrait (for a score)’, Tenderpixel, London (2017); ‘Paradise Island’, OUTPOST, Norwich (2017); ‘Hypersea’, Turner Contemporary, Margate (2016); Artist-in- residence, [SPACE], London (2016); Horrid Little Hands, Eastside Projects, Birmingham (2016); Liminal States, RCA, London, (2016); Project Radio, &Model, Leeds, (2015); Live ASMR, Resonance FM and Open School East, London, (2015); Sonic Blind Dates, Tate Britain, London, (2015).

Residência com o Apoio da Gasworks